comitiva ii

Em MS, a maioria dos homens jovens morre de forma violenta

Entre as mulheres de 20 a 29 anos, 18% das causas de óbitos são agressão por objeto cortante ou penetrante, segundo dados da Secretaria de Saúde do Estado

Por JUDSON MARINHO em 18/06/2024 às 12:22:28

Homem morre em acidente na Capital. Essa é uma das principais causas de óbitos de jovens em MS - Foto: Marcelo Victor

Entre a população jovem do Mato Grosso do Sul, relatório demonstra que acidentes no trânsito e mortes violentas, como o disparo de arma de fogo, são as principais causas de óbito dos homens de 10 a 29 anos.

Os dados do primeiro quadrimestre deste ano, da Secretaria de Estado de Saúde (SES) mostram que nesta faixa etária informada, mas especificamente entre as idades de 10 a 19 anos, as maiores proporções de mortes são por causas externas (80%), dentro desta categoria, a maioria das causas externas são de acidentes no trânsito (28,1%), incluindo todas as situações onde os jovens se encontra no sinistro, como: ciclistas, motociclistas, passageiros e condutores.

A segunda maior causa de óbitos dos adolescentes do sexo masculino no Estado nos primeiros meses de 2024, é ocasionada devido a agressão por meio de disparo de arma de fogo ou de arma não especificada (15,6%). De janeiro até abril, de acordo com o relatório da SES, foram notificados 40 óbitos em MS de homens de 10 a 19 anos.

Quando observado a faixa etária masculina dos 20 aos 29 anos, além do número de óbitos ser mais elevado neste ano (137), as causas das mortes são parecidas com o que foi registrado entre as crianças e adolescentes, 73% dos óbitos são por causas externas, dentro desta porcentagem, 13% das mortes aconteceram devido a acidentes de trânsito e 13% de disparo de outra arma de fogo ou de arma não especificada.

Segundo o relatório da Secretaria de Saúde, outros 8% das causas de óbitos dos jovens de 20 a 29 anos se dá através de doenças infecciosas e parasitárias, dentre as doenças nesta faixa etária, o maior motivo de óbitos (54,5%) ocorre em decorrência do vírus sexualmente transmissível da imunodeficiência humana [HIV].
No primeiro quadrimestre de 2024, ao todo foram registrados 2.660 óbitos em indivíduos do sexo masculino acima de 10 anos de idade no Estado.

A maior faixa etária de óbitos do sexo masculino em MS (65,4%) são de homens de 60 anos acima. 42,2% tinham escolaridade até o ensino fundamental.

De acordo com levantamento da SES, referente a Taxa Bruta de Mortalidade (TBM) masculina, as quatro causas de óbito com maiores TBM no sexo masculino foram: doenças do aparelho circulatório 53,6%, causas externas de morbidade e mortalidade 30,6%, neoplasias 28,2% e doenças do aparelho respiratório 18,4%.

VIDAS PERDIDAS

No fim do mês de janeiro, um acidente de trânsito vitimou um adolescente de 16 anos na avenida Duque de Caxias.

O jovem que estava como passageiro em uma motocicleta conduzida por um jovem de 19 anos, foi arremessado do veículo contra uma barra de ferro, após o condutor perder o controle da moto, saindo da pista e invadindo um posto de combustível da Duque de Caxias, no cruzamento com a rua Itatiaia.

Mais recentemente, na primeira semana de junho, Nicholas Yann dos Santos de Jesus, de 20 anos, veio a óbito durante um evento de manobras de motocicletas no Autódromo Internacional de Campo Grande.
O jovem que não estava com o devido equipamento de segurança caiu da motocicleta e bateu a cabeça no chão durante uma manobra. Nicholas foi atendido por uma ambulância do autódromo, mas, infelizmente, não resistiu aos ferimentos.

MULHERES

Entre as mulheres, de acordo com o relatório do primeiro quadrimestre da SES, os casos mais preocupantes são referentes a crianças, adolescentes e jovens entre 10 a 29 anos, onde as causas principais de óbitos são: lesão autoprovocada (suicídio) e agressão por objeto cortante ou penetrante, sendo estes possíveis casos de feminicídio.

Em relação a análise dos óbitos por faixa etária, no grupo de 10 a 19 anos, no primeiro quadrimestre de 2024, foram notificados 23 mortes, sendo que as maiores proporções nesta faixa etária foram as causas externas (43,4%) e as neoplasias (13,0%).

Dentro das causas externas, 40% dos óbitos ocorridos foram por lesão auto provocada intencionalmente. Em relação às neoplasias, a neoplasia maligna do encéfalo, que é um tumor no cérebro, é uma das principais causas de óbitos dentro das doenças neoplasicas (66,6%).

Na faixa etária dos 20 aos 29 anos, 35 óbitos de mulheres foram registrados nos primeiros quatro meses do ano. As causas mais prevalentes foram de lesão auto provocada (27,2%), agressão por objeto cortante ou penetrante (18,2%) e doenças do aparelho respiratório (14,3%).

Dentre as doenças do aparelho respiratório, o relatório de saúde observa que a pneumonia por microrganismo não identificado foi a maior causa de morte (60,0%).

A faixa etária feminina com maior número de óbitos no Estado, no primeiro quadrimestre de 2024, é de acima dos 60 anos com 75,2% dos registros.

Ao todo, 1.396 mortes de mulheres foram registradas no Estado. Segundo o calculo da taxa bruta de mortalidade do sexo feminino em MS, as três principais causas de óbito foram: doenças do aparelho circulatório 40% ,neoplasias 25,1% e doenças do aparelho respiratório 15,5%.

Saiba

De acordo com a conclusão do relatório da SES, os resultados em relação aos óbitos femininos e masculinos apontam a necessidade de estratégias de prevenção e intervenção direcionadas a programas sobre cuidado à saúde mental, rastreamento precoce e tratamento de doenças crônicas.

Fonte: Correio do Estado

Comunicar erro
no

Comentários

comitiva